Você está aqui: Início » 2017 » junho

PASTORAL DA CRIANÇA DA PARÓQUIA SENHOR BOM JESUS COMPLETA 28 ANOS DE MISSÃO

Postado dia: 29 de junho de 2017 | Por: Carla Cristina Andrade | Notícias

PASTORAL DA CRIANÇA DA PARÓQUIA SENHOR BOM JESUS COMPLETA 28 ANOS DE MISSÃO

A Pastoral da Criança da Paróquia Senhor Bom Jesus de Matozinhos (MG), através da sua coordenação, convida VOCÊ e SUA FAMÍLIA para participarem da MISSA SERTANEJA com padre Gilson e o Coral Mirim “Promotores da Paz” de Paraopeba, em ação de graças aos 28 anos de missão a serviço da vida e da esperança.

A Celebração Eucarística será no dia 02 de Julho (domingo) às 9h, na Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus.

 

PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA ESTÁ EM FESTA

Postado dia: 24 de junho de 2017 | Por: Carla Cristina Andrade | Notícias

PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA ESTÁ EM FESTA

Hoje, dia 24 de junho, a Paróquia São João Batista do bairro Belo Vale em Sete Lagoas(MG) está em festa!
Além de festejar seu padroeiro, também está comemorando 4 anos de criação.
Com o tema geral: “COM JOÃO E MARIA, CAMINHEMOS EM COMUNHÃO COM O CORPO E O SANGUE DO SENHOR – CELEBRANDO O ANO MARIANO” , as festividades terão a seguinte programação:

24/06 (9º DIA DA NOVENA) / SÁBADO: NATIVIDADE DE SÃO JOÃO BATISTA (PADROEIRO)  E COMEMORAÇÃO DOS 4 ANOS DE CRIAÇÃO DA PARÓQUIA

19h – Oração do Santo Terço

19h30- Celebração da Santa Missa

TEMA do DIA:    “Veio até nós a voz que clama no deserto: endireitai os caminhos do Senhor”

  • Oração a São João, Hino e Consagração a Nossa Senhora.

= Responsáveis: CATEQUESE

25/06 (DOMINGO): ENCERRAMENTO DAS FESTIVIDADES

10h  – Casamento Comunitário.

18h- Oração do Santo Terço nas Comunidades Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora do Rosário onde teremos as imagens de São João Batista e da Virgem Maria.

18h30- Saída das procissões das respectivas comunidades:

Sagrado Coração de Jesus: Imagem de São João Batista

Nossa Senhora do Rosário: Imagem de Nossa Senhora

O encontro se dará no Campinho de Areia seguindo para a Matriz de São João Batista onde teremos a Santa Missa.

  • Oração a São João, Hino e Consagração a Nossa Senhora.

= Responsáveis: LITURGIA PAROQUIAL

Após a Santa Missa haverá  funcionamento de barraquinhas com comidas típicas e boa música.

Padre Anailton Viveiros juntamente com o Conselho Pastoral da comunidade convidam a todos para participarem deste momento celebrativo!


Paróquia São João Batista 

Rua: Antônio Nogueira de Souza, 48 – Bairro: Belo Vale I CEP: 35.702-319

Fone: (31) 3772-9345

E-mail: [email protected]

 

FESTA DE SÃO PEDRO EM SETE LAGOAS(MG)

Postado dia: 21 de junho de 2017 | Por: Carla Cristina Andrade | Notícias

FESTA DE SÃO PEDRO EM SETE LAGOAS(MG)

A Paróquia de São Pedro em Sete Lagoas iniciou ontem (20/06),  a novena em honra ao seu padroeiro.

Com o tema:“A exemplo de São Pedro, preservar a fé, cuidar da criação em defesa da vida” o pároco, padre Paulo Renato juntamente com as pastorais, movimentos e demais setores paroquiais, convidam a todos para participarem desta grande festa.

A Festa de São Pedro é um momento especial de oração, encontro e convivência fraterna. Um momento de graça e renovação na vida da comunidade. Venha e convide sua família para celebrar!

Clique para ampliar a programação:

  

Maiores informações: (31) 31) 3771-8999

Email:[email protected]

 

 

PARÓQUIA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS EM CORDISBURGO CELEBRA SEU PADROEIRO

Postado dia: | Por: Carla Cristina Andrade | Notícias

PARÓQUIA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS EM CORDISBURGO CELEBRA SEU PADROEIRO

A Festa do Sagrado Coração de Jesus em Cordisburgo (MG) será celebrada nesta sexta-feira, 23 de junho. De acordo com padre Geraldo Carvalho, “celebrar a solenidade do Sacratíssimo Coração de Jesus é tributar ao Senhor um culto de adoração que manifeste, com especiais homenagens, toda a nossa gratidão pelo mistério de amor que Ele, por meio de sua amantíssima Redenção, dignou-se manifestar-nos”.

Juntamente com os festeiros Macedo e Conceição, o padre convida a todos para participarem dos festejos que começaram no dia 15 de junho e serão encerrados no próximo domingo. Eles também agradecem a todos os colaboradores.

 

Segue abaixo a programação:

 

Dia 21 de junho, Quarta-feira – 7ºdia da Novena.

19:hs – Reza do Terço.

19:30hs- Celebração da Santa Missa

Resp: pela Liturgia e Terço: Escolas Cláudio Pinheiro, Mestre Candinho,

Octacílio Negrão de Lima , Professores , funcionários e alunos.

Patrícia, Élida e Raquel .

Coral: Vozes do Amanhecer

 

Dia 22 de junho, Quinta-feira – 8ºdia da Novena

19h – Reza do Terço

19h30- Celebração da Santa Missa

Resp: pela Liturgia e Terço: Fátima Barbosa e Maria Anilza.

Coral: Homens de paz

As barraquinhas estarão em funcionamento.

 

Dia 23 de junho, Sexta-feira-  9ºdia da Novena

DIA DA FESTA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

11h Benção dos carros e carreata do Sagrado Coração de Jesus pela cidade.

19h – Reza do Terço. Macedo e Conceição.

19h30- Celebração da Santa Missa.

Resp: pela Liturgia : Efigênia e Terço das Famílias.

Após a Missa Coroação da Imagem do Sagrado Coração de Jesus pelos Festeiros.

Coral: Homens de Paz

As barraquinhas estarão em funcionamento.

 

Dia 24 de junho, Sábado

19h – Reza do Terço. Sara e Jovens Crescendo em Cristo.

19h30- Celebração da Santa Missa

Resp: pela Liturgia: Efigênia.

Coral: Da Comunidade

As barraquinhas estarão em funcionamento.

 

Dia 25 de junho, Domingo

10h,  Celebração da Santa Missa

Resp: Efigênia e Maria Lúcia.

Logo após, Almoço no Salão Paroquial e Leilões as 14hs

Coral: Vozes do Amanhecer.

12h, Cavalgada saindo da praça da cooperativa em direção a Matriz para benção e almoço na barraquinha.

Obs: À Noite não haverá Missa.


 

Contato: PARÓQUIA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

RUA FREI ESTEVAM, Nº 350 – Centro / Cordisburgo (MG)  Fone: (31) 3715-1372.

 

 

CORPUS CHRISTI: Santíssimo Sacramento do Corpo e Sangue do Senhor

Postado dia: 15 de junho de 2017 | Por: Pe Roberto Vicente | Notícias

CORPUS CHRISTI: Santíssimo Sacramento do Corpo e Sangue do Senhor

“Hoje a Igreja te convida: ao pão vivo que dá vida vem com ela celebrar!” – Caríssimos irmãos, é, precisamente, este o sentido da hodierna solenidade: celebrar, proclamar, professar, expressar a nossa fé inabalável na presença real do Cristo morto e ressuscitado nas espécies eucarísticas!

Eis a nossa fé: cremos com todo o nosso coração e com toda a nossa mente que, nas espécies eucarísticas oferecidas como Sacrifico de Cristo – sacrifico único, perfeito, eterno – o Senhor Jesus está realmente presente no seu Corpo e no seu Sangue, alma e divindade, tão perfeito e real como está no céu. Ante o pão e o vinho consagrados, podemos cantar, como o povo cristão canta: “Deus está aqui! Ó vinde, adoradores, adoremos a Cristo redentor!” Eis: nas espécies consagradas já não há mais pão, já não há mais vinho: há somente o Corpo e o Sangue do Senhor morto e ressuscitado, todo no que era vinho, todo no que era pão. É ele: adorável, amável, Vida para nossa vida!

Caríssimos, trata-se de um Mistério de fé que somente pode ser compreendido de joelhos! Trata-se de uma realidade concreta que somente pode ser apreendida se abrirmos o coração ao desígnio amoroso e salvífico de Deus! Não há como perceber, não há como provar, não há como demonstrar cientificamente! Não podemos apreendê-lo, capturá-lo com nossa razão e nossos sentidos: o paladar falha, pois saboreia pão e vinho; o tato falha, pois pega pão e vinho; a visão falha, pois enxerga pão e vinho; o olfato falha, pois cheira pão e vinho… Somente pelo ouvido, que crê o que escuta, podemos perceber o Mistério; somente a audição não falha: “Isto é o meu corpo; isto é o meu sangue! Eu sou o pão vivo descido do céu. O pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo!” Eis, que mistério tão grande: o pão que Cristo dá é a carne dada, a carne sacrificada, entregue na cruz, para a vida do mundo! Que mistério! Que amor!

Os judeus entenderam, os judeus contestaram, os judeus se escandalizaram, os judeus o abandonaram! Infelizmente, há cristãos que não entendem, que contestam, que se escandalizam e não comem nem bebem a Vida que dura eternamente!

Mas, Jesus insiste: “Em verdade, em verdade os digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós! Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e eu o ressuscitarei!” – São palavras impressionantes, quase que inacreditáveis: o corpo e sangue de Jesus devem ser comidos como fonte de vida! Não de qualquer vida, mas da vida eterna, vida de Deus! Esta vida é o próprio Espírito Santo, que ressuscitou Jesus e que impregna seu Corpo e Sangue nas espécies eucarísticas! Por isso, na comunhão, recebemos, comemos a Vida já agora e plantamos esta Vida para a ressurreição final! “Porque a minha carne é verdadeira comida e o meu sangue, verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele!” – O que mais Jesus poderia dizer para deixar mais claro e patente que sua presença na Eucaristia é realmente real? É “verdadeiramente comida, é verdadeiramente bebida!” “Como o Pai que me enviou vive – é o Deus vivente e pleno de vida -, e eu vivo pelo Pai, o que come de mim viverá por mim!” – Que dom, que graça: viver por Jesus, viver com a mesmíssima vida que Jesus ressuscitado recebeu do Pai: viver daquela vida escondida no pão e no vinho! Eis o dom que o Senhor faz de si mesmo! E Jesus conclui, no Evangelho de hoje: Este é o pão que desceu do céu, não é um simples pão deste mundo! Não é como aquele que os vossos pais comeram. Eles morreram! O maná não dava a vida divina, o maná não era transfigurado pelo Espírito Santo, Senhor que dá a vida! Aquele que come este pão viverá para sempre!”

Caríssimos! Na travessia do deserto da vida, o Senhor nos conduz entre humilhações e provas, que nos revelam quem somos, o que temos no coração… O Senhor não nos infantiliza, não nos livra dos embates da existência, mas permanece conosco: “Não te esqueças do Senhor teu Deus: ele foi teu guia no vasto e terrível deserto. Foi ele que fez jorrar água para ti da pedra duríssima e te alimentou no deserto com o maná que nem tu nem teus pais conhecíeis, para te mostrar que nem só de pão vive o homem, mas o homem vive de toda palavra que sai da boca de Deus!” Nos nossos desertos, nesse deserto da longa história humana, que a Igreja vai atravessando, nutramo-nos desse pão e bebamos da bebida que sai do Cristo, nossa Rocha! Este alimento verdadeiro, de vida verdadeira, ei-lo no altar: “O cálice que abençoamos é a nossa comunhão com o sangue de Cristo. O pão que partimos é a nossa comunhão com o corpo de Cristo!” Comunguemos, pois,com ele: comunguemos no sacramento, no afeto, nas escolhas, nas situações da vida, nas certezas, na morte e na vida eterna!

 

SANTÍSSIMA TRINDADE: “Viste o amor; Viste a Trindade Santíssima” (Santo Agostinho)

Postado dia: 11 de junho de 2017 | Por: Pe Roberto Vicente | Notícias

SANTÍSSIMA TRINDADE: “Viste o amor; Viste a Trindade Santíssima” (Santo Agostinho)

 

Após termos celebrado o Natal do Senhor, quando contemplamos o amor do Pai, que enviou seu Filho ao mundo na potência do Espírito, que tornou fecundo o seio virginal de Maria Mãe de Deus; após a celebração do santo tempo pascal, quando fizemos memorial da paixão, morte, sepultura e ressurreição do Senhor, que por nós ofereceu-se ao Pai num Espírito eterno; após concluirmos a Santa Páscoa com a celebração do dom do Espírito em Pentecostes, neste Domingo a Igreja nos faz proclamar a glória da Trindade Santa, o Deus uno e trino que é amor e deu-se a nós e nos salvou por amor! Na Liturgia, no correr do ano, é o Mistério e a história do nosso Deus conosco que celebramos, contemplamos e experimentamos na nossa vida!

Mas, o que nos revela essa história de Deus, do Pai que nos enviou o Filho na força do Espírito Santo? Revela-nos que o Deus uno e único, o Santo Deus de Israel é, ao mesmo tempo e de modo misterioso e impenetrável, uma eterna e perfeita Comunidade de amor! Ele é um só! Ele é comunidade de amor! Absolutamente Um e absolutamente comunidade! Eis o Mistério que nem no céu poderemos esquadrinhar! Não é a toa que, na primeira leitura de hoje o Senhor se revela se escondendo na noite e na nuvem: “Ainda era noite… e o Senhor desceu na nuvem e permaneceu com Moisés”. Eis! Nosso Deus se faz próximo, desce até nós por amor, mas não podemos compreendê-lo, domá-lo, domesticá-lo! Ele se revela como amor puro e generoso: seu nome é Amor e Misericórdia: “Senhor, Senhor! Deus misericordiosos e clemente, paciente, rico em bondade e fiel…”, mas para experimentá-lo, para caminhar com ele, e preciso a atitude de Moisés: “ele curvou-se até o chão, prostrado por terra… E disse: ‘Senhor, acolhe-nos como propriedade tua’”. Nosso Deus nos ama, nosso Deus faz-se próximo, mas jamais será nosso parceiro, nosso amiguinho, nosso coleguinha, que pode por nós ser subornado e com o qual podemos negociar! Não! Ele é Deus! O seu nome é Eternidade, o seu nome é Infinitude, o seu nome é Amor! Ele é Deus!

E, no entanto, ele quis caminhar conosco, veio a nós e revelou-se no Mistério da sua intimidade. Que coisa: um Deus que nos procura e quer nos unir a ele. Como dizia Santa Teresa: “Juntais aquela que não é com a Plenitude acabada: sem acabar, acabais; sem ter que amar, amais, e engrandeceis nosso nada!” Ele, gratuitamente, deu-se a nós, para nos salvar, fazendo-nos viver com ele, participando da sua vida: por isso o Pai entregou ao mundo o seu Filho amado: para viver conosco, sonhar conosco, sofrer e morrer conosco e, assim, dá-nos sua vitória e seu céu: “Deus, o Pai, amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho unigênito, para que não morra quem nele crer, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o seu Filho para condenar o mundo, mas que o mundo seja salvo por ele”. No Filho único, Jesus, o Pai mostrou o seu rosto, o Pai mostrou sua bondade, o Pai mostrou o seu amo. Jesus mesmo disse: “Quem me vê, vê o Pai. Eu e o Pai somos uma só coisa! (Jo 14,9s). Mas, não bastava para Deus viver no nosso meio, entre nós! Ele quis viver em nós, dentro de nós, sendo mais íntimo de nós que nós mesmos! Por isso, o Filho Jesus, Deus entre nós, Deus conosco, após sua morte e ressurreição, deu-nos o seu Espírito Santo, que ele mesmo recebera do Pai: “Porque sois filhos, Deus, o Pai, enviou aos vossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: Abbá, Pai! (Gl 4,6). Deus foi grande para conosco! Foi bom demais! Não só nos revelou coisas, mas revelou-se a si mesmo. Ele, no mais íntimo de si, sem deixar de ser um só, é Pai, eterno Amante, é Filho, eterno Amado, é Espírito, eterno Amor! E não somente revelou-se a nós como é, mas deu-se a nós: o Pai, pelo Filho, no Espírito deu-nos a própria vida divina! Deus veio a nós, quis fazer história na nossa história, quis viver a nossa vida para nos elevar à vida dele, vida feliz, vida plena, vida eterna!

É nessa fé que vivemos, é na vida desse Deus uno e trino que fomos batizados. Aquele amor eterno entre o Pai, o Filho e o Espírito, é o amor que nos invade e que devemos viver entre nós! A Trindade não é uma teoria para os doutores em teologia. Ela é uma realidade concreta que deve invadir a nossa vida e a vida da Igreja: “Amemo-nos uns aos outros, pois o amor é de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor!” (1Jo 4,7-8). Porque somos cristãos, nascidos nas águas batismais, em nome da Trindade, nossa vida deve ser vida e comunhão de amor: “a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós!” Estas palavras de São Paulo revela o que nós somos, o que devemos ser, o que devemos testemunhar diante do mundo: uma comunidade que nasceu do amor, vive no ninho do Deus de amor e caminha para o Deus de amor. Por isso o Apóstolo recomenda-nos: “Alegrai-vos, cultivai a concórdia, vivei em paz, saudai-vos com o ósculo santo!”

Crer e experimentar que Deus é uno e trino é viver no amor que nos faz uma só coisa no Filho Jesus e nos conserva respeitosos das diferenças e diversidades entre nós. Uma comunidade que não seja unida e respeitosa das diferenças de dons, carismas, ministérios e sensibilidades, não é uma comunidade realmente nascida da Trindade, que vive o mistério da Trindade e caminha para a Trindade. Nunca esqueçamos: vimos do Pai pelo Filho no Espírito; caminhamos, peregrinos, para o Pai, pelo Filho no Espírito. A Trindade é nosso berço, nosso ninho e nosso destino. Contemplá-la e adorá-la é viver o amor. Como dizia Santo Agostinho: viste o amor, viste a Trindade. “Bendito seja Deus Pai, bendito seja o Filho unigênito, bendito seja o Espírito Santo! Deus foi misericordioso para conosco!” A ele, a glória pelos séculos. Amém.

 

Dom Henrique Soares da Costa – Bispo de Palmares/PE

SEMINARISTAS DA DIOCESE DE SETE LAGOAS PARTICIPAM DO VII FORMISE DO REGIONAL LESTE 2

Postado dia: 7 de junho de 2017 | Por: Carla Cristina Andrade | Notícias

SEMINARISTAS DA DIOCESE DE SETE LAGOAS PARTICIPAM DO VII FORMISE DO REGIONAL LESTE 2

Nos dias 02 a 04 de junho de 2017, aconteceu o VII FORMISE (Formação Missionária de Seminaristas) da CNBB – Regional Leste 2, que abrange os estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, na cidade de Três Corações, da diocese de Campanha (MG). O encontro formativo da missionariedade foi conduzido pelo Pe. Jean Poul Hansen, sacerdote na cidade de Campanha, e o tema proposto foi: “A Alegria do Evangelho para uma Igreja em Saída”.

Estiveram presentes 52 seminaristas representando de 21 (Arqui)dioceses das 32 que compõem o Regional. Marcaram presença ainda Dom José Lanza Neto, bispo diocesano de Guaxupé (MG) e referencial para a Animação Missionária no Regional Leste II; Ezequiel Messias que é o coordenador do COMISE Regional Leste II e o bispo de Campanha Dom Pedro Cunho Cruz que se fez presente para acolher e desejar boa formação aos participantes. Também estiveram presentes os membros do Comire Leste II (Conselho missionário regional).

Com base no documento Evangelii Gaudium, Dom Pedro ressaltou a importância da abertura à ação missionária e afirmou: “não há como formar dignos pastores para a Igreja do Brasil, do mundo, sem o espírito missionário”.

Seminaristas da Província Eclesiástica de Belo Horizonte

Dom Lanza reforça que “temos um grande privilégio de pertencermos a Igreja Católica, uma Igreja em estado permanente de missão, é esse o desejo de nossos pastores, e também deve ser o nosso. Nós, membros desta mesma Igreja, devemos nos colocar em estado de saída, é preciso levar a alegria de ser Igreja, de pertencer a Cristo. Esta alegria deve se manifestar em nosso cotidiano, no nosso dia a dia da vida, em todos os lugares que estivermos! Pelo testemunho de nossa vida fazemos de Cristo conhecido por todos que se aproximam de nós. ”.

Seminaristas Diocesanos – Bruno e Lucas

Os seminaristas Bruno Willian de Oliveira e Lucas André Pereira, ambos do 3° ano de filosofia, foram os representantes da Diocese de Sete Lagoas, eles são membros do COMISE Diocesano do Seminário Maior. A finalidade do conselho é fomentar o espírito e o estudo missionário para os futuros presbíteros, além de ajudar na organização e execução das missões dos seminaristas. Neste ano a missão acontecerá na Paróquia Sagrada Família em Sete Lagoas dos dias 23 a 30 de julho de 2017 com a participação de religiosos, seminaristas, sacerdotes, diáconos e paroquianos, bem como terá a participação de leigos da região e visitantes. O formato da missão está baseado nas Santas Missões Populares.

Brilhantemente, o assessor, Padre Jean Poul, deixou ao final a seguinte reflexão para os seminaristas: “O seminarista é alguém que está sempre em saída, está sempre indo e vindo. Já se imaginaram quando receberem o ministério presbiteral para onde vão estar        saindo?”O encontro encerrou-se com a Celebração Eucarística do dia de Pentecostes presidida por dom José Lanza.

“Missão não é evento. Missão deve estar presente no nosso cotidiano”. Pe Jean Poul

p/ COMISE Diocesano de Sete Lagoas

Informações : CNBB Leste 2 e  Seminarista Bruno Willian

 

BISPOS DO REGIONAL LESTE 2 DA CNBB ESTÃO REUNIDOS PARA ASSEMBLEIA ANUAL DO CONSER

Postado dia: | Por: Carla Cristina Andrade | Notícias

BISPOS DO REGIONAL LESTE 2  DA CNBB ESTÃO REUNIDOS PARA ASSEMBLEIA ANUAL DO CONSER

Arcebispos, bispos e padres das (arqui)dioceses de Minas Gerais e Espírito Santo estão reunidos desde segunda-feira,(05/06), no Santuário Estadual Nossa Senhora da Piedade, em Caeté (MG), para a Assembleia Anual do Conselho Episcopal de Pastoral (CONSER) Leste 2 (Minas Gerais e Espírito Santo) e Encontro dos Coordenadores Diocesanos de Pastoral.

A pauta do evento terá como tema central uma das urgências pastorais, assumidas pelo Regional, para o quadriênio 2015-2019, “Iniciação a vida Cristã e Comunidade, com ênfase no Rito de Iniciação à Vida Cristã de Adultos (RICA)”. A assessoria do tema central ficará a cargo do teólogo, padre Francisco Taborda.

Outro assunto de pauta é a Analise de Conjuntura, sob a assessoria da socióloga e professora associada da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Silvia Fernandes, que abordará a pesquisa sobre o número de Católicos no Brasil e os dados Santa Sé.

O evento segue até quinta-feira, 8 de junho, na Casa de Retiro Monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro (Rodovia MG 435 Km 6) em  Caeté/MG.

A Diocese de Sete Lagoas está representada nesta Assembleia pelo nosso bispo Dom Guilherme Porto e o coordenador de Pastoral, padre Israel Cardoso.

 

Da redação

Com informações: Cnbb Leste 2

Foto: Arquidiocese de BH

PARÓQUIA DE PEQUI FESTEJA SANTO ANTÔNIO

Postado dia: 4 de junho de 2017 | Por: Carla Cristina Andrade | Notícias

PARÓQUIA DE PEQUI FESTEJA SANTO ANTÔNIO

A Paróquia Santo Antônio de Pequi (MG) segue com a festa do seu padroeiro até dia 13 de junho, com o tema “As Virtudes Cristãs de Santo Antônio – “Oh, glorioso Santo Antônio, intercedei a Deus por nossas famílias!”.

Segundo o pároco, Padre Luiz Carlos Andrade, serão celebradas missas todos dos dias da trezena com a meditação das virtudes do padroeiro.

Também haverá distribuição dos Pãezinhos de Santo Antônio e oferta de Lírios e Flores.  O movimento de barraquinhas será nos dias 9,10 e 11, coordenado pelos festeiros deste ano. Em algumas noites, no adro da Matriz haverá venda de comidas típicas.

Abaixo, segue a programação:

Dia 07 de junho (quarta-feira)

Santa Missa – 19h30

Celebração presidida por Padre Carlos Roberto de Faria

Responsável pela Liturgia: Catequizandos e Catequistas da Paróquia

Atuação especial do Coral “Santa Terezinha”, de Pequi.

Dia 08 de junho – (quinta-feira)

Santa Missa – 19h30

Participação especial da Catequista da Pastoral do Batismo Tereza Maria de Oliveira

Responsável pela Liturgia:  Membros do Coral “Esperança”, de Pequi

Atuação especial  do Coral “Esperança”.

Dia 09 de junho – (sexta-feira)

Santa Missa – 19h30

Participação especial da Coordenadora Paroquial de CatequeseTelma Blandina Wenceslau

Responsável pela Liturgia:  Família CASTRO

Atuação especial do Coral “Santa Terezinha”, de Pequi

Barraquinhas a cargo dos Festeiros de Santo Antônio

Dia 10 de junho – Sábado

Santa Missa – 19h30

Celebração presidida por Padre Carlos Roberto de Faria

Responsável pela Liturgia : Crianças e Funcionários da Creche Municipal “Oscar Barbosa”

Atuação especial  Coral “Anjos da Vida”, de Pequi

Levantamento da Bandeira sob os cuidados do mordomo Sávio Ramos e da madrinha Ana Amélia Ramos com queima de fogos.

Acendimento da Fogueira Junina

Barraquinhas a cargo dos Festeiros de Santo Antônio

Dia 11 de junho – Domingo

Santa Missa – 9h30

Missa Sertaneja presidida pelo Vigário da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo (Paraopeba)-  Padre Gilson da Piedade Mendes

Responsável pela Liturgia : Famílias  ARAÚJO  e  SANTOS PENA

Movimento na Parte da Manhã:

Tradicional Cavalgada de Santo Antônio – 11h

Almoço Comunitário – 12h

Leilões e distribuição de Brindes

Dia 12 de junho – Segunda-Feira

Santa Missa – 19h30

Celebração presidida pelo Vigário da Paróquia de Santa Luzia (Sete Lagoas) –

Padre Evandro Alves Bastos

Responsável pela Liturgia : Famílias das Comunidades de Soledade, Campos e Lagoa Branca

Atuação especial do Coral “Esperança”, de Pequi.

Dia 13 de junho – Terça-Feira – GRANDE FESTA DO PADROEIRO

Alvorada Festiva: 5h

Santa Missa: 18h30

Responsável pela Liturgia : Grupo de Oração “Rainha da Paz”

Atuação especial do Coral “Santa Terezinha”, de Pequi

Logo em seguida:  Procissão Solene e distribuição dos Pãezinhos de Santo Antônio


  Padre Luís Carlos de Andrade e Comissão Organizadora

Roselene Aparecida de Abreu Silva

José Augusto Barbosa

Dilmara Rita Barbosa

Margarida Lourenço

Tereza Maria de Oliveira

 

SOLENIDADE DE PENTECOSTES: CONCLUSÃO DO PERÍODO PASCAL

Postado dia: | Por: Pe Roberto Vicente | Notícias

SOLENIDADE DE PENTECOSTES: CONCLUSÃO DO PERÍODO PASCAL

A Igreja conclui hoje o Tempo Pascal com a solenidade de Pentecostes. Não poderia ser diferente, pois o Espírito Santo é o fruto da paixão morte e ressurreição do Senhor Jesus. Ele morreu entregando na cruz o Espírito e, no mesmo Espírito, foi ressuscitado pelo Pai. Agora, plenificado por esse Espírito, derramou-o e derrama-o sobre a Igreja e sobre toda a criação.

Vejamos alguns aspectos da ação do Espírito.

(1) Primeiramente, por ser Espírito do Cristo, ele nos une ao Senhor Jesus, dando-nos a sua própria vida, como a cabeça dá vida ao corpo e o tronco dá vida aos ramos. É no Espírito que Cristo habita realmente em nós desde o nosso batismo, e faz crescer sua presença em nós em cada eucaristia, quando comungamos o corpo e o sangue daquele Senhor, que é pleno do Espírito. Só no Espírito podemos dizer que Cristo permanece em nós e nós permanecemos nele; só no Espírito podemos dizer que já não somos nós que vivemos, mas Cristo vive em nós, com seus sentimentos, suas atitudes e sua entrega ao Pai. Por isso, somente no Santo Espírito nossa vida pode ser vida em Cristo, vida de santidade.

(2) Mas, o Espírito, além de agir em cada cristão, age na Comunidade como um todo, edificando a Igreja, fazendo-a sempre corpo de Cristo. Antes de tudo, ele vivifica a Igreja com a vida do Ressuscitado, incorporando sempre nela novos membros, fazendo-a crescer mais na plenitude de Cristo. Depois, ele suscita incontáveis ministérios, carismas e dons, desde os mais simples, como até aqueles mais vistosos ou mais estáveis, como os ministérios ordenados: os Bispos, padres e diáconos. É o Espírito que mantém esta variedade em harmonia e unidade, para que tudo e todos contribuam para a edificação do corpo de Cristo, que é a Igreja. Assim, é no Espírito que surge e ressurge sempre a vida religiosa, com tantos carismas diferentes, é no Espírito que os mártires testemunham Cristo até a morte, é no Espírito que se exerce a caridade, se visita os enfermos, se consola os sofredores, se aconselha, se socorre os pobres, se prega o Evangelho… enfim, é no Espírito que a Igreja vive, cresce e respira!

(3) É no Espírito que os santos sacramentos são celebrados com eficácia, pois que o Espírito é a própria energia, a própria graça, a própria força de vida e ressurreição que o Cristo recebe do Pai e derrama sobre a Igreja. Sendo assim, é no Espírito que a Igreja é continuamente edificada e renovada, até a vida eterna.

(4) É no Espírito que os cristãos podem rezar, proclamando do fundo do coração que Jesus é Senhor e que Deus é nosso Pai de verdade. Somente porque temos o Espírito recebido no batismo é que somos realmente filhos de Deus, já que recebemos o Espírito do Filho que clama em nós “Abbá” – Pai. O Espírito une a nossa oração à oração de Jesus, dando-lhe valor e eficácia e colocando-nos na vida da própria Trindade Santa. Sem o Espírito, não poderíamos chamar a Deus de Pai, sem o Espírito nossa oração não seria a de Jesus e nosso louvor, nossa adoração e nossa intercessão não estariam unidas e inseridas na própria união de Jesus com o Pai.
(5) É o Espírito quem recorda sempre à Igreja a verdade do Evangelho, conduzindo-a sempre mais adiante no conhecimento de Cristo. Por isso, assistida pelo Espírito da Verdade, a Igreja jamais pode errar na sua profissão de fé; jamais pode afastar-se da verdade católica que recebeu dos apóstolos. Assim, somente no Espírito é que cremos com fé certa na fé da Igreja!

(6) É ainda no Espírito que a Igreja, ansiosa, olha para a frente, para o futuro e, inquieta, clama que o Esposo venha logo para consumar todas as coisas. Por isso, na força do Espírito, a Igreja deverá ser sempre fiel a cada época, sem saudosismos nem medos, construindo com humildade o Reino de Deus, até que venha o seu Esposo e leve tudo à consumação. É no Espírito que os cristãos devem viver como profetas do Reino que está por vir, denunciando com doçura e vigor tudo quanto se oponha à manifestação desse Reino. No Espírito, a Igreja anunciará sempre o Evangelho, superando todo medo de falar de modo novo a constante e imutável verdade do Evangelho, que interpela, transforma e converte o coração.

(7) Mas, o Espírito não está restrito à Igreja. Ele enche, impregna e renova o universo e toda a humanidade. Onde menos esperamos, onde ainda não chegamos, lá já podemos encontrar a ação do Espírito do Senhor, que cai cristificando toda a humanidade e todas as coisas.

(8) É o Espírito que vai, com força e discrição, guiando a história humana para a plenitude de Cristo, e isto por mais que, tantas vezes, o mundo pareça perdido e sem rumo, em meio a guerras, injustiças, hipocrisias, violências, tristezas e mortes. Cabe aos cristãos, saberem discernir e interpretar os sinais dos tempos, que o Santo Espírito faz brotar por toda parte, tendo ouvidos para ouvir o que o ele diz à Igreja.

(9) Finalmente, é no Espírito, que um dia, no Dia de Cristo, quando ele, nossa vida, aparecer em glória, tudo será glorificado, a história será passada a limpo, a criação inteira será transfigurada, o pecado será destruído para sempre, a morte será vencida e nossos corpos mortais ressuscitarão, transfigurados como o corpo do Cristo Jesus ressuscitado. Então, plena do Espírito, toda criação será plenamente corpo de Cristo. O Ressuscitado será Cabeça dessa nova criação e entregará tudo ao Pai, para que o Pai, pelo Filho, no Espírito, seja tudo em todas as coisas.

É esta a nossa esperança, a nossa certeza e a plenitude da nossa salvação. É esta realidade estupenda que se iniciou com o dom do Espírito, celebrado na festa de hoje.
Só nos resta implorar novamente o que cantamos antes do “aleluia”:

“Espírito de Deus,/ enviai dos céus/ um raio de luz!
Vinde, Pai dos pobres,/ dai aos corações/ vossos sete dons.
Consolo que acalma,/ Hóspede da alma,/ doce Alívio, vinde!
No labor, Descanso,/ na aflição, Remanso, / no calor, Aragem.
Enchei, Luz bendita,/ Chama que crepita,/ o íntimo de nós.
Sem a Luz que acode,/ nada o homem pode,/ nenhum bem há nele.
Ao sujo lavai,/ ao seco regai,/ curai o doente.
Dobrai o que é duro,/ guiai-nos no escuro, o frio aquecei.
Daí à vossa Igreja,/ que espera e deseja,/ vossos sete dons.
Dai em prêmio ao forte/ uma santa morte,/ alegria eterna./ Amém”.

 

Dom Henrique Soares da Costa – Bispo de Palmares/PE

Página 1 de 212