Destaques Notícias da Diocese

A inclusão dos surdos no coração da Igreja Católica

PE - Recife - 17/05/2019 - Local - A interprete de libras Alessandra fala sobre o seu trabalho em traduzir a missa para a comunidade surda da igreja catolica por iniciativa propria, nesta sexta (17). Foto: Tarciso Augusto / Esp. DP Foto.

Sabe-se que a história das pessoas com deficiência, é marcada por uma história de muitas lutas e de muitos sofrimentos.

Em se tratando das pessoas surdas, esta realidade não é diferente. Este grupo, por muito tempo foi tratado como minoria, não que hoje nestes tempos modernos isto não o seja, porém já é possível contabilizar registros de avanços que elevam estes irmãos a ser respeitados como pessoas com deficiência e com direitos e deveres a si atribuídos e legalizados.

No que se refere ao cuidado e estímulo da vida espiritual destes nossos irmãos surdos, há tempos encontra-se uma grande lacuna e muitos desafios em nossa Igreja Católica e um desejo muito grande da parte dos mesmos, para que conseguissem fazer seu encontro pessoal com Cristo.

Muitos surdos, por não ter conseguido este apoio e acolhida em nossas igrejas, devido toda a questão do preparo, acaba, que buscaram refúgio em outras denominações religiosas que os acolheram a sua forma.

Sabe-se que dos poucos filhos de DEUS surdos que ainda permanecem em nossa igreja, o fazem firmados na fé própria que o Cristo os concedeu e com toda a certeza, possuem um enorme amor pela Igreja Católica.  Caso contrário, não se submeteriam participar da celebração eucarística mesmo impossibilitados de escutar o que o sacerdote e toda a equipe de celebração estão transmitindo através de suas produções orais. Sabe-se que ainda, há surdos em que, cujas famílias preservam este amor a igreja e a importância de se regar a vida espiritual continuamente, desta forma, estas por sua vez se empenham em oferecer estímulo para que esta crença não se apague ou a chama da fé diminua e assumem o papel social que na verdade tanto a sociedade quanto a igreja deveriam assumir.

Pensando nesta dimensão e também em como estes filhos de DEUS estariam vivendo frente aos desafios desta PANDEMIA, bem como estariam alimentando sua fé e enchendo-se de esperança que o padre Fábio de Lima, pároco da Paróquia São Francisco em Sete Lagoas, sensibilizado com estes “irmãos mais sensíveis na audição” , termo criado por ele mesmo para se referir aos surdos, está realizando um trabalho integrado através da PASCOM (Pastoral da Comunicação) que viabiliza a acessibilidade comunicativa aos surdos de nossa Diocese. O direito de acesso à informação chega aos nossos irmãos surdos através de uma Intérprete de LIBRAS que realiza a ponte nesta comunicação.

A comunidade surda católica passa agora a ter o direito garantido de participar das celebrações eucarísticas e pela primeira vez na história de Sete Lagoas, SURDOS Católicos, pelo desejo e incentivo do padre Fábio de Lima, realizaram no dia 30, a Coroação a Nossa Senhora, tradição em nossa igreja no mês de Maio. Este mesmo grupo, também teve a oportunidade de participar da Novena de Pentecostes.  Todo material é produzido pelos recursos tecnológicos e dispostos nas redes sociais chegando aos lares daqueles que anseiam seguir pelo caminho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Sabe-se que muitos ainda são os desafios, mas a fé junto com a vontade em se fazer cumprir o que nos convida a Campanha da Fraternidade deste ano, “ Olhou, teve compaixão e cuidou dele”, é o combustível para fazer com que este desafiador projeto, que é do próprio Cristo, se realize verdadeiramente.

 

Texto de Marlen Mirely – Intérprete de Libras

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Voz do Pastor

Dom Aloísio Vitral

Quinto Bispo da Diocese de Sete Lagoas, empossado para essa Igreja Particular no dia 16 de Dezembro de 2017.

Agenda Diocesana

Share This