Destaques Formação Permanente

Para recomeçar: concluir

Quando se cumpre uma missão, quando uma dada tarefa chega à sua conclusão, quanto é terminada uma obrigação ou compromisso assumido: Que alívio! Há um movimento de alegria e enorme satisfação. Um contentamento contemplativo e uma gratidão pela energia depositada, pela realização, pela conquista. Noto como é festiva a conclusão de um curso, de uma etapa de trabalho e aposentadoria alcançada. Como é celebrativa a passagem para um novo estágio da vida e dos sonhos. Fico extasiado com a alegria de mais um ano concluído, com as colheitas depois dos esforços, com o resultado ao término de um tratamento, com a superação de uma dependência após meses de internação. Enfim, é incrível quando se alcança uma conclusão final.

Penso que essa é a sensação quando Jesus percebe que Judas cumpriu sua missão. No Evangelho de João a expressão é muito bonita: “Agora foi glorificado o Filho do Homem, e Deus foi glorificado nele”! A afirmação é conclusiva. Traz um prazer de missão cumprida e um caráter de docilidade no encerramento. É como poder dizer: Pronto! Resolvido!

O fato é que havia sido concluído o designado para Judas. A sensibilidade nos lábios do Mestre se dá pela percepção de que aquele irmão cumpriu sua tarefa. Isso é a Glória de Deus! Dar conta de amarrar algumas coisas, concluí-las, encerrá-las, aponta para a grandeza da capacidade que Deus nos dá, desde a criação, quando convidados a sermos continuadores da Sua obra.

“Quando deixamos as coisas pelas metades estamos muito distantes do Projeto de Deus”.

Quando começamos e não conseguimos dar continuidade, deixando para traz algumas jornadas mal resolvidas, fragmentamos o processo que nos integra.

Entendo que muitas vezes podemos parar e recomeçar, reconstruir uma proposta ou programação dando-lhe novo sentido e entendimento. Penso, ainda, que urge construir processos mais livres e leves que potencializam nossa disposição para recomeçar. Mas, acredito ser indiscutivelmente importante dar conta de caminhar até o fim.

Como preciso concluir essa reflexão: fico pensando que às vezes damos conta de perceber quando os outros não conseguem chegar ao fim e os acusamos de desanimados, e nos frustramos com seus comportamentos e atitudes. Nem sempre, porém, festejamos com os que alcançam o prazer e alegria da missão cumprida. No entanto, mais grave ainda é quando não nos damos conta de nossas inconclusões!!! É bom lembrar que para chegar à Páscoa uma das afirmativas conclusivas mais tocantes, que abre as portas para esse tempo de júbilo, é proferida no âmago da entrega: “Tudo está consumado”!

Pe. Evandro Bastos

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Voz do Pastor

Dom Francisco Cota

Dom Francisco Cota

Em 10 de junho de 2020 foi nomeado pelo Papa Francisco, o sexto bispo da Diocese de Sete Lagoas (MG).

Agenda Diocesana

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

 
 « ‹fev 2021› » 
Share This