Destaques Notícias da Diocese

Termo Orientativo no contexto da pandemia da Covid-19

Sete Lagoas, 17 de março de 2021.

Termo orientativo dos procedimentos a serem adotados em todas as instâncias eclesiais

que integram a Diocese de Sete Lagoas, no contexto da pandemia da Covid-19.

“Eu vos envio como ovelhas em meio a lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mt 10,16).

Em decorrência da Pandemia da Covid-19, estamos vivenciando um cenário de muita insegurança. A falta de cooperação e de corresponsabilidade por parte da população em âmbito coletivo, ressalvados os esforços feitos pelas igrejas para se adequarem às medidas sanitárias, tem feito com que a pandemia ganhe proporções alarmantes, tanto na contaminação de pessoas como nos óbitos dela decorrentes.

Na busca de controlar este grave quadro da pandemia, o Governo Estadual tornou mais severas as restrições relacionadas aos deslocamentos e aglomeração de pessoas. Trata-se da denominada “onda roxa”, que volta a impactar também as atividades da Igreja.

Considerando que, mesmo a curto e médio prazo, há muitas incertezas quanto à objetividade das medidas adotadas pelos governos municipal, estadual e federal, bem como as frequentes reformulações destas medidas, o que é compreensível no atual contexto, achamos por bem não estabelecermos normas diocesanas mais incisivas que dependam de revogação perante tais mudanças. Além do mais, a extensão geográfica da Diocese compreende 22 municípios, que gozam de certa autonomia para estabelecer permissões e restrições às suas populações.

Assim sendo, orientamos o seguinte:

  1. Que em todas as instâncias eclesiais que integram a Diocese de Sete Lagoas, enquanto durar a pandemia, sejam observadas as restrições estabelecidas nos Decretos, Deliberações e outros Atos dos governos municipais, estadual e federal;
  2. Que tão logo cesse a vigência destes Atos, os expedientes da Igreja sejam retomados em sua normalidade;
  3. Que mesmo nas situações de impedimento da participação dos fiéis nas celebrações, os padres permaneçam no ambiente paroquial para prestarem a devida assistência religiosa aos fiéis;
  4. Que as secretarias paroquiais, quando impedidas de permanecerem abertas para o atendimento ao público, permaneçam em funcionamento na forma de expediente interno;
  5. Que, não havendo impedimentos legais para tal, as igrejas permaneçam abertas para as orações individuais dos fiéis;
  6. Que, mesmo perante as restrições decorrentes da pandemia, o planejamento das atividades paroquiais seja mantido, independente de ser realizado com ou sem a participação dos fiéis;
  7. Que, não havendo impedimentos legais para tal, os funcionários da Mitra Diocesana sejam mantidos em seus respectivos expedientes;
  8. Que, enquanto perdurar o estado de insegurança da pandemia, sejam evitados gastos que possam comprometer a sustentação financeira de nossas instâncias eclesiais.

Na “Carta Apostólica Patris Corde”, ao ressaltar a coragem criativa de São José, o Papa Francisco nos interpela dizendo que “perante uma dificuldade, pode-se estacar e abandonar o campo, ou tentar vencê-la de algum modo”. No contexto atual, somos desafiados a envidar nossos esforços na segunda alternativa.

Já habituados a praticar as medidas sanitárias com a devida segurança e responsabilidade, continuaremos a dar o nosso bom exemplo no enfrentamento da pandemia.

Que o Deus da vida e da esperança nos proteja e ilumine em tempos tão inseguros e incertos.

Dom Francisco Cota de Oliveira

Bispo Diocesano de Sete Lagoas

 

Baixe o documento na íntegra 


Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Voz do Pastor

Dom Francisco Cota

Dom Francisco Cota

Em 10 de junho de 2020 foi nomeado pelo Papa Francisco, o sexto bispo da Diocese de Sete Lagoas (MG).

Agenda Diocesana

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

 
 « ‹abr 2021› » 
Share This